"You were born an original. Don't die a copy!" - John Mason

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Actually...


Que me conhece sabe que não sou muito dada a sentimentalismos. It's a fact, I can't deny it.

Hoje em dia parece que é moda uma mulher dar uma de mazona, cold bitch (dizem que é cool), quando na realidade, é um coração mole e desmancha-se em lágrimas quando chega a casa. Não é o meu caso.

Sou assim, tenho dificuldades em sentir, em deixar-me levar.
Gosto de relações sem compromissos, gosto de não ter que dar justificações a quem quer que seja e sobretudo, não suporto que me controlem e estejam sempre em cima.
Há quem diga que sou fria no que respeita ao campo sentimental.
Não diria que "fria" seja a palavra correcta, até porque gosto que me façam saber que gostam de mim, e vice-versa. Todos gostamos de nos sentir acarinhados, "gostados" ou desejados e eu não sou excepção. Mas tenho os meus limites. Que não são muito alargados, confesso.
Coisas demasiado melosas e variáveis do género, não se encaixam, de todo, na minha maneira de ser. Que posso fazer?

Aceito perfeitamente um "És uma tesão do caraças, temos de repetir" ou um simples "Gosto de estar contigo". Mais que isso, são nhonhonhices a mais, que me fazem urticária. E vocês que não querem que eu fique com urticária.

E agora dizem os homens: "Pois, vocês mulheres, gostam é de gajos que vos encham de porrada e vos tratem mal." (Vocês são muito exagerados e ainda por cima gostam de generalizar*)
Não é nada disso.
Umas palmadas no sítio certo fazem milagres.
E o tratar mal está completamente fora de questão. Respeitinho é muito bonito e eu gosto.
Como disse ali em cima, há limites. Tanto para o máximo aceitável, como para o mínimo.
Nem 8, nem 80. Ali no 30/35 (40, vá!), parece-me perfeito.

But you know what? Despite being a cold heartless bitch, I like this movie scene. I love it, actually!!


* Sim, eu sei que não são só vocês que gostam de generalizar, as mulheres também!

8 comentários:

  1. Mulher tu entendes-me, nós não queremos um nhónhó que dá o cu e 8 tostões por nós! Nós gostamos daquele cabrão, filho da mãe, que nos deixa doidas, sem forças nas pernas, sem ser preciso muito mais do que um simples agarrar suave/firme do nosso cabelo junto à nuca, aiiiiiiiiiii.

    Mas sem lamechices baratas, isso ficam para os nhónhós que nós damos com os pés! lolol

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. epá já passei os 40...sou bué mau, mas com bom coração...acho.

    ResponderEliminar
  3. Margarida:

    Aquilo que uma pessoa pensa, por muito bem fundamentado que esteja, importará para alguma coisa?

    ResponderEliminar
  4. Actually... 30/35 (40, vá!) is the best! ;)

    ResponderEliminar
  5. Waldorfa:
    Tu és a minha alma gémea ahaha

    Ulisses:
    I know you do! ;)

    Francis:
    Eu também acho que sim...

    Jaime:
    Terá a importância que cada um lhe der. Ponto!

    Marquês:
    Is it? ;)

    ResponderEliminar
  6. O problema actualmente, e também não querendo generalizar, mas já estando, é que as mulheres são muito mais directas e objectivas e os homens são cheios de nhónhónhó.

    Enfim...

    ResponderEliminar
  7. Vera:
    Quando somos directas, ficam com medo. Não percebo!

    ResponderEliminar